A Abrasel na Paraíba se junta a outras entidades e aos governos em programas que capacitam e dão a primeira chance de emprego a profissionais de bares e restaurantes

Estágio ajuda no desenvolvimento acadêmico e dá chance no mercado

Formar e desenvolver bons profissionais sempre foi um grande desafio para qualquer empreendedor do setor de alimentação fora do lar. Como selecionar talentos no mercado, ajudá-los a crescer e reter os melhores? Estas são dúvidas que aparecem no dia a dia de qualquer bar, lanchonete ou restaurante. Em João Pessoa (PB) três iniciativas atacam esses problemas de frente, com excelentes contrapartidas sociais – o que faz com que sejam possíveis parcerias com universidades, escolas técnicas e os poderes públicos municipal e estadual.

Permitir a primeira experiência profissional para estudantes universitários é o foco do Programa Integrado de Estágio, uma parceria da Abrasel com as universidades particulares FPB (Faculdade Internacional da Paraíba) e UNINASSAU (Centro Universitário Maurício de Nassau), e a UFPB (Universidade Federal da Paraíba). A ponte entre os estudantes e os estabelecimentos é construída pela Abrasel nas salas de aula, com apresentações sobre o setor e a importância do estágio, além do esclarecimento de dúvidas sobre os diversos papeis profissionais em um estabelecimento de alimentação fora do lar.

Além da orientação, a Abrasel também provê uma espécie de filtro, selecionando os perfis de estudantes e dos estabelecimentos e indicando as conexões que fazem mais sentido para ambos. O trabalho junto às universidades já tem 3 anos e tem dado frutos. Muitos dos estagiários acabam sendo contratados pelos estabelecimentos e iniciando a carreira profissional nos bares e restaurantes através do programa. O presidente da Abrasel na Paraíba, Arthur Lira, diz que a iniciativa dá chance a estudantes de cursos como o de gastronomia de se conectar com a prática: “Nas faculdades particulares cada estudante tem de cumprir 300 horas de estágio, na Federal são 900 horas. Com a nossa ajuda cada minuto do estágio se torna mais proveitoso, formando profissionais adaptados às exigências do nosso mercado”.

Outro programa que já tem um histórico de sucesso é o Curso Gastronomia Social, realizado pela Abrasel em parceria com a Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria de Desenvolvimento Social. Realizado em áreas carentes da cidade (em locais cedidos pela prefeitura), o curso intensivo aborda diversos aspectos importantes do trabalho na cozinha de bares e restaurantes, como boas práticas, segurança dos alimentos e preparo de receitas. São 40 dias de curso intensivo ministrados por chefs, profissionais da vigilância sanitária e outros especialistas. A ideia é capacitar quem procura emprego no setor de alimentação fora do lar. Está em projeto tornar o curso permanente – hoje ele ocorre duas vezes por ano.

Após concluir o curso, os jovens são apadrinhados por um empresário do setor e podem fazer um estágio de uma semana em estabelecimentos da capital paraibana. Muitos deles acabam sendo contratados desta maneira. “Essa tem sido a nossa prática, de sempre preparar esses novos cozinheiros para entrarem no mercado de trabalho. João Pessoa tem todos os potenciais de crescimento, principalmente na área de Gastronomia, com abertura de novos restaurantes, padarias e outros diversos segmentos dentro da área. Hoje estamos realizando o sonho de várias pessoas de terem um futuro melhor”, afirma Diego Tavares, Secretário de Desenvolvimento Social de João Pessoa.

Arthur Lira

Primeira Chance

O ensino técnico também é valorizado e capacita cada vez mais profissionais para o setor no Estado da Paraíba. Programa que já vem chamando a atenção dentro e fora do Brasil, o Primeira Chance permite que alunos de dezenas de escolas técnicas de ensino médio tenham uma experiência de aplicação do conhecimento no dia a dia de bares e restaurantes. São seis meses de estágio, prorrogáveis por mais seis, em diversas áreas, como gastronomia e administração, numa parceria do governo estadual com a Abrasel e a ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis). Existem dois módulos. Na chamada primeira via, são 40 vagas de estágio com bolsa paga pelo governo estadual, com uma carga de 20 horas semanais. Na segunda via, com vagas ilimitadas, empresários podem aproveitar o banco de currículos gerados pelas inscrições para selecionar estagiários – neste caso, o pagamento da bolsa fica por conta do estabelecimento.

“Essa é uma ação de sucesso, é gratificante ver nossos estudantes participando dessa fase inicial, e a realização de um projeto pensado pelo nosso governado João Azevedo para ofertar a primeira chance, o primeiro estágio para muitos estudantes. Temos uma meta de expandir o projeto para várias regiões do Estado”, diz o Secretário da Educação e da Ciência e Tecnologia da Paraíba, Cláudio Furtado. Para implementar o programa, o governo do Estado realizou um intenso planejamento – dois integrantes da secretaria viajaram à Finlândia para conhecer as iniciativas locais na área de educação profissional (o país é reconhecido como um centro de excelência na área).

Também foi criada uma ferramenta digital para ranqueamento e construção do perfil de estudantes e de empresas, de modo a facilitar a integração e permitir um processo seletivo mais justo e eficiente. De um lado, as empresas são analisadas e ranqueadas de acordo com critérios técnicos e entrevistas. De outro, os alunos recebem notas relativas ao desempenho escolar e de acordo com questionários de avaliação. Deste modo, são alinhadas expectativas e definidas as linhas de estágio que têm mais chance de sucesso para estudantes e estabelecimentos.

“O nível de aproveitamento é altíssimo. Como empresário, já recebi em meu restaurante duas pessoas para estágio – nos dois casos houve a contratação após o período. O estágio é uma boa maneira de permitir o crescimento profissional dos estudantes, mas também de se formar uma mão de obra dedicada, produtiva e moldada à filosofia do estabelecimento. Deste modo, todos ganham”, afirma Arthur Lira, presidente da Abrasel na Paraíba. O sucesso do programa já chama a atenção de outros estados, que enviaram representantes para conhecer a iniciativa. “O programa tem tudo para ser implantado em outras cidades do Brasil. Assim vamos gerar mais empregos, movimentar a economia e incentivar nossos jovens a crescer profissionalmente”, completa Arthur Lira.

*Reportagem originalmente publicada na edição 131 da revista Bares & Restaurantes

Comentários