Notice: Undefined variable: base in /var/abrasel.com.br/revista/site/templates/head.inc on line 67

O Banco Central anunciou que, a partir de fevereiro de 2025, usuários poderão fazer transferências instantâneas via Pix por aproximação, eliminando a necessidade de redirecionamento para aplicativos bancários durante compras

Normas detalhadas serão publicadas em julho de 2024, com testes iniciando em novembro do mesmo ano. Foto: Canva

A partir de fevereiro de 2025, o público poderá utilizar o Pix por aproximação, conforme anunciou o Banco Central (BC) nesta semana. A nova modalidade de pagamento instantâneo, que promete facilitar ainda mais as transações financeiras, faz parte de um conjunto de novas regras editadas pela autoridade monetária e o Conselho Monetário Nacional (CMN) para ampliar o open finance, o compartilhamento de dados entre instituições financeiras.

Inicialmente, com o Pix por aproximação, o usuário poderá realizar transferências instantâneas sem sair do ambiente de compras online e ir para o aplicativo do banco. Essa funcionalidade, no entanto, requer a inclusão de novos tipos de instituições financeiras no open finance e a definição de uma governança clara para o compartilhamento de dados.

O Banco Central publicará normas detalhadas sobre o tema no final de julho, que trarão instruções específicas para as instituições financeiras e definirão suas responsabilidades na nova ferramenta.

Cronograma de implementação

De acordo com o cronograma do BC, a regulamentação específica para a Jornada de Pagamentos Sem Redirecionamento (JSR), nome formal do Pix por aproximação, será publicada em 31 de julho de 2024. Em 14 de novembro de 2024, terão início os testes pelas instituições financeiras, garantindo a segurança da funcionalidade. Finalmente, em 28 de fevereiro de 2025, o serviço será lançado para a população.

Benefícios para empreendimentos

Com a possibilidade de realizar transferências instantâneas sem interrupções durante o processo de compra online, os estabelecimentos poderão oferecer uma experiência de pagamento mais fluida e conveniente aos clientes.

Isso não só aumenta a eficiência operacional dos negócios, reduzindo possíveis filas e melhorando o fluxo de caixa, como também pode atrair mais consumidores ao proporcionar uma experiência de compra mais rápida e moderna. Além disso, a integração do Pix por aproximação com o open finance abre oportunidades para novos modelos de negócio e parcerias estratégicas, potencializando a competitividade e inovação no setor de alimentos e bebidas.

Novas regras do Open Finance

As novas regras do open finance têm como objetivo simplificar etapas nos pagamentos online. Será necessário oferecer o Pix nas carteiras digitais, que são as instituições financeiras onde os clientes depositam dinheiro para realizar pagamentos online. Segundo as normas, instituições financeiras com mais de 5 milhões de clientes, sejam individuais ou em conglomerados, serão obrigadas a aderir ao open finance.

Assim, a introdução do Pix por aproximação representa mais um passo na modernização dos pagamentos no Brasil, prometendo maior praticidade e rapidez nas transações financeiras. Para os empreendedores de bares e restaurantes, essa novidade pode significar um aumento na eficiência das operações financeiras e na satisfação dos clientes, que poderão realizar pagamentos de forma ainda mais rápida e segura.

*Conteúdo feito com informações do Mercado&Consumo

gif_o_cafe_e_a_conta.gif

Comentários