Venda de vinhos cresce 13% em 2020. Bares e restaurantes podem se aproveitar deste movimento na retomada do segmento.

Cresce o consumo de vinho no Brasil

A comercialização de vinhos no Brasil cresceu 31% no ano passado em relação a 2019, segundo estudo inédito da Ideal Consulting. Isso significa um total de 501,1 milhões de litros de vinho, entre os vendidos pelas vinícolas nacionais e os trazidos pelas importadoras. Em 2019, foram comercializados 383,9 milhões de litros.

Em 2020, cada brasileiro maior de 18 anos consumiu o equivalente a 2,78 litros de vinho. No ano anterior, o consumo per capita já havia batido um recorde e chegado a 2,13 litros por habitante. Há anos que o setor tenta ultrapassar a marca de 2 litros per capita no consumo de vinho.

Os dados mostram ainda o consumo do chamado vinho de mesa, aquele elaborado com variedades não viníferas, teve um aumento de 32% no ano passado em comparação com 2019. Nos vinhos finos brasileiros, a alta foi de 100%. Nos importados, de 29%. Com estes dados, os vinhos de mesa representam 63% do total do mercado de vinhos no Brasil (eram 64% em 2019). Os vinhos finos aumentaram a sua participação de 4% para 6% neste período e os importados perderam um ponto percentual, passando de 32% para 31%.

Em dezembro de 2020, o ranking entre nacionais e importados ficou com 57% para os vinhos brasileiros e 43% para os importados. Vale destacar que em junho os nacionais tiveram o seu recorde de participação de mercado, chegando a 82%, contra 18% dos importados.

Com o mercado em alta, uma das apostas é na melhor capacitação de profissionais e de empresas para criar negócios ao redor do vinho. Um exemplo é a EducaVinhos, de Diego Bertolini, consultor de mercado com mais de 20 anos de experiência neste segmento. Com cursos online e presencias, Bertolini vem investindo na formação de pessoas para suprir as lacunas do mercado de vinhos no Brasil.

“O brasileiro descobriu novas ocasiões para abrir uma garrafa de vinho e os canais online e delivery passaram a serem usados como alternativas para maior participação da bebida". Este movimento levou maior comodidade ao consumidor e o serviço do vinho para os lares fez com que as empresas se orientassem cada vez mais ao consumidor final e este movimento não tem mais volta.

O aumento da frequência de compra do consumidor tornou o vinho o escolhido por muitos para passar a quarentena. O consumo aumentou e este hábito teve aderência não só pelos consumidores regulares, mas sim, pelos novos adeptos a bebida. Após a estabilização do COVID os consumidores diminuirão o consumo doméstico e irão procurar a bebida nos pontos de dose, sendo assim uma oportunidade para a retomada do segmento de bares e restaurante que precisará de categorias que lhe proporcionem maior rentabilidade. Segundo levantamentos da FISPAL, O restaurante que possui uma carta bem elaborada, que harmoniza com os seus pratos, tem aumento na lucratividade de cerca de 20% a 30%.

A carta de vinhos é o cartão de visitas do restaurante tem a intenção de trabalhar com vinhos. O profissional do vinho é o ponto chave para construir a carta ou seção de vinhos de forma didática, informativa e fundamentada em pontos que farão toda a diferença no resultado do bar ou restaurante.

Dicas para o negócio

  • Conheça o público do seu estabelecimento com objetivo de oferecer uma variedade de vinhos que agrade a maioria dos seus clientes;
  • Harmonize os vinhos com os pratos da casa;
  • Ofereça vinhos e espumantes em taca;
  • Tenha variedade de preços; vinhos de bom custo benefício e acessíveis não podem faltar;
  • Escolha parceiros de distribuição de confiança e que deem continuidade no atendimento e na oferta dos rótulos escolhidos;
  • Mantenha a lareza das informações e boa apresentação;
  • Procure manter quantidade e variedade de rótulos e safras;

As principais vantagens de ter uma boa carta de vinhos são:

  • Acréscimo na rentabilidade do estabelecimento;
  • Dados da FISPAL mostram um acréscimo em30% na rentabilidade de restaurantes que trabalham com vinho;
  • Incentivo e ganhos variáveis para a equipe de atendimento;
  • Fidelização de clientes;
  • Valorização da gastronomia.

Notícias Relacionadas

Comentários