abrasel

Para o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, a preocupação agora está na definição de como será a retomada da economia. “É preciso que prefeitos e governadores definam essa situação claramente", diz.

A partir da próxima segunda-feira (13), estados e municípios que não tiveram ultrapassado o percentual de 50% de ocupação dos serviços de saúde, na pandemia de coronavírus, podem iniciar uma transição para um formato onde apenas alguns grupos da sociedade ficam em isolamento. O objetivo é promover o retorno gradual à circulação de pessoas, incluindo atividades como comércio, bares e restaurantes. A premissa é que a retomada seja feita com segurança e, para isso, é preciso que os municípios deem visibilidade aos critérios definidos pelo Ministério e sejam cada vez mais transparentes na divulgação de dados como a curva daqueles que precisarão de atendimento médico e da disponibilidade de leitos, por exemplo.

Para o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, a preocupação agora está na definição de como será a retomada da economia. “É preciso que prefeitos e governadores definam essa situação claramente. Como irão funcionar os sistemas de transportes? Bares e restaurantes terão quais critérios? Como será a questão dos shoppings; estarão abertos? Em que horário?”.

Para Solmucci, essas definições são imprescindíveis de serem tomadas com celeridade e rapidez. “Será com elas que faremos o nosso planejamento e iremos gerar o melhor retorno, preservando empregos e a segurança de todos que frequentarão nossas casas novamente”, diz.

A medida é recomendada desde que haja oferta de leitos e respiradores, Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o trabalho de profissionais de saúde e testes de diagnóstico.Clique aqui e veja as recomendações do Ministério da Saúde

Comentários