abrasel

Há mais de 120 dias sem poder funcionar, os bares, restaurantes e lanchonetes de Belo Horizonte conseguiram na Justiça o direito de abrir as portas. Mas, segundo o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, o momento é de serenidade. É preciso fazer os ajustes necessários para voltar com segurança.

“Recebemos essa notícia com muita responsabilidade. Vamos nos sentar com a prefeitura para conversar sobre os protocolos. Também vamos comunicar aos cidadãos a maneira como ele deverá se comportar nos estabelecimentos. Entendemos que tudo precisa ser feito com muito cuidado e atenção”, enfatiza Solmucci.

No pedido feito à Justiça, a Abrasel chegou a apresentar medidas a serem adotadas como distanciamento mínimo de dois metros entre as pessoas, uso de máscara, controle de fluxo de clientes, priorização de vendas para consumo do lado de fora, espaçamento mínimo de 1 metro entre as mesas e normas para permanência de crianças.

A autorização para reabertura foi dada pelo juiz Wauner Batista Ferreira Machado, da 3ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal. “Na Justiça é assim. A decisão vale para quem pede, e nós pedimos. Mas não pensamos somente nos bares e restaurantes. É provável que esse efeito seja estendido para outros setores do comércio”, afirma Solmucci.

A expectativa do presidente da Abrasel é que os bares, restaurantes e lanchonetes retomem suas atividades até o fim desta semana. Entretanto, nem todos vão abrir. “Antes da pandemia, Belo Horizonte tinha 22 mil estabelecimentos. Acreditamos que pelo menos 7.000 não terão mais condições de reabrir. O setor já perdeu 50 mil postos de trabalho”, finaliza.

Abrasel participa de manifestação que pede transparência à PBH

Sem protocolos oficiais conhecidos, Belo Horizonte está perdendo a guerra para o vírus tanto na frente da saúde quanto da economia, por falta de engajamento da sociedade, que desesperançosa, clama por um plano de reabertura e protocolos viáveis a serem seguidos. É evidente que a reabertura do comércio está condicionada às condições de saúde. Sendo assim, urge das ruas o desejo de saber: que dia BH volta? Como? De que maneira?

Neste contexto onde o planejamento se faz urgente, a Abrasel participa de uma manifestação pacífica nesta quarta-feira (22) no entorno da Praça da Liberdade, marcada para acontecer de 14h30 às 17h. O movimento, intitulado "Que dia BH volta?" é para que um plano viável de retomada das atividades seja apresentado pela prefeitura da capital.

Comentários