abrasel

Receita Federal começa a enviar os comunicados para as 4,5 milhões de empresas que terão direito a entrar no programa. Expectativa é que empréstimos cheguem a R$ 25 bilhões


Quase dois meses após a aprovação pelo Congresso do projeto que tornou o Pronampe permanente, os recursos começam a chegar nas micro e pequenas empresas desde segunda-feira.

O governo aportou R$ 5 bilhões no Fundo Garantidor de Operações (FGO), que serve para garantir os empréstimos. A expectativa do Ministério da Economia é que esse aporte se torne até R$ 25 bilhões em empréstimos na mão das instituições financeiras, com o efeito da alavancagem.

Essa multiplicação dos recursos será possível porque nessa nova versão do programa, a porcentagem de crédito garantida pelo governo caiu de até 85% para 20%. Com isso, o governo espera que os bancos elevem em até cinco vezes os recursos aportados.

Nesta segunda-feira, a Receita Federal começou a enviar os comunicados para as 4,5 milhões de empresas que terão direito ao Pronampe. As mensagens tem informações sobre a receita bruta de 2019 e 2020 e um código (hash code) para avaliação junto às instituições financeiras participantes do Pronampe.

As informações de receita bruta precisam ser checadas porque determinam quais empresas têm direito ao Pronampe e a qual valor elas poderão ter acesso.

Para empresas optantes do Simples Nacional, as informações poderão ser acessadas pelo portal do Simples. Para o restante, os comunicados são enviados na caixa postal do e-CAC.

Na sexta-feira, a Caixa já anunciou que vai liberar R$ 6,3 bilhões por meio do Pronampe. Para obter o crédito, o empreendedor deve comparecer a uma agência em posse da comunicação enviada pela Receita Federal. O limite de concessão é de R$ 150 mil por empresa.

Fonte: O Globo

Comentários