abrasel

O 32º Congresso Abrasel foi palco de uma ação inédita no Brasil, nessa sexta-feira (28). Pela primeira vez, oito presidentes, CEO’s e diretores das maiores empresas de alimentação e bebidas se reuniram para, juntos, ajudarem o pequeno varejo. Trata-se do Movimento Nós, capitaneado por Ambev, Aurora, BRF, Coca-Cola, Heineken, Mondelez, Nestlé e Pepsico.

Em um painel apresentado pelo presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, os executivos Jean Jereissati (CEO da Ambev), Henrique Braun (Presidente da Coca-Cola Brasil), Lorival Luz (CEO da BRF), Leomar Somensi (CEO da Aurora Alimentos), Maurício Giamellaro (CEO da Heineken), Liel Miranda (CEO da Mondelês, Marcelo Melchior (CEO da Nestlé Brasil) e João Campos (CEO da PepsiCo) discutiram os desafios para ajudar os pequenos negócios e apresentaram os compromissos do movimento:

  • Reabertura segura com foco na saúde;
  • Reabastecimento de estoque facilitado;
  • Fortalecimento da relação comércio e consumidores;
  • Divulgação de informações importantes do mercado;


Segundo Paulo Solmucci, o movimento é essencial para criar uma sinergia de ações que de fato ajudem os empreendedores. “É uma iniciativa que não teria tanto peso se não acontecesse com tanta gente competente reunida”, diz.

De acordo com o movimento, o Nós irá beneficiar aproximadamente 300 mil pontos de vendas, 1 milhão de trabalhadores e 3 milhões de pessoas em todo o Brasil.
Acesse movimentonos.com.br e saiba mais.

Continue no site da Abrasel e confira a cobertura completa do 32ª Congresso Abrasel. Você também pode fazer parte da comunidade exclusiva do Congresso Abrasel.

O 32º Congresso Nacional Abrasel é uma realização da Abrasel e Mundo Mesa, tem apoio da Abipesca e Fispal Food Service, parceria da Unecs e conta com o patrocínio bronze da Cachaça 51, Grupo Petrópolis e Totvs. O patrocínio ouro conta com Alelo, Ambev, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Coca-Cola Brasil, Ecolab, Sebrae, Sodexo, Stone, Souza Cruz e Ticket. A parceria de mídia conta com a revista Bares & Restaurantes, Prazeres da Mesa e o jornal Correio Braziliense.

Comentários