No mês da cerveja, empresa realizou, em quatro capitais, projeto-piloto de qualificação em conhecimento cervejeiro

Por Luiza Campos

O dia internacional da cerveja é comemorado, em vários países, na primeira sexta-feira de agosto, mas por aqui, a celebração se estende pelo mês inteiro. E foi justamente esse o período escolhido pela Ambev para implementar um projeto-piloto de qualificação em conhecimento cervejeiro. Nessa primeira etapa, as ações foram realizadas nas cidades de Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, com duas turmas de 30 alunos em cada destino.

Com acompanhamento de grandes mestres-cervejeiros e de especialistas em marketing, o treinamento foi gratuito. Segundo a gerente de cultura e conhecimento cervejeiro da Ambev, Lia Dutra, universalizar o acesso às aulas “faz parte da empresa, não faz sentido outra forma”. Ela explica que as aulas, 100% interativas, abordaram conhecimento essencial sobre a cerveja, os ingredientes, as variedades de estilo, o processo de fabricação aliados à uma etapa de experiência, com um almoço harmonizado. Prática e teoria juntas para que os alunos tivessem uma formação ampla sobre o mercado cervejeiro e pudessem, em seus bares e restaurantes, elevar a qualidade do atendimento ao cliente. “Uma brigada bem treinada é essencial. Oferecemos o almoço para trazer essa preocupação em saber harmonizar os tipos de cerveja com diferentes pratos”, conta.

Ela destaca que foram selecionadas 30 empresas por destino, cada uma levando dois colaboradores, divididos em duas turmas. A ideia é que esses alunos possam multiplicar, dentro dos estabelecimentos em que atuam, as informações recebidas. “O projeto nasce muito da vontade de levar conhecimento para toda nossa cadeia de relacionamento, a gente recebe muitos pedidos de apoio. A maioria vem dos pontos de vendas (bares e restaurantes) porque eles têm que lidar diretamente com os consumidores, saber responder as dúvidas”, comenta a gerente, que diz ainda que foram dois anos de planejamento e estruturação antes de implementar o piloto.
No DNA

Qualificar toda a cadeia de relacionamento está no DNA da Ambev. Lia diz que treinamentos são feitos, periodicamente, com os colaboradores da companhia, nos centros de distribuição, com os vendedores, com os pontos de venda (PDVs) – que incluem os estabelecimentos do setor de alimentação fora do lar – e até com os consumidores. “É importante falar com todos os stakeholders. Isso está no cerne da Ambev”, afirma.

“É quase como se fosse uma universidade interna, qualificamos todos os nossos funcionários, desde os vendedores, que quando visitam os PDVs, sabem responder às perguntas que surgem. E agora expandimos isso para fora. Isso é um movimento que vem de anos pra cá, um mercado que, de certa forma, se sofisticou nos últimos anos. Sentimos que as pessoas querem discutir cerveja, buscam informação”, pontua.

Expansão

Para 2019, ainda não há definição de um cronograma de novos cursos de formação cervejeira. Mas a gerente da Ambev comenta que a ideia é expandir o treinamento, atendendo outros destinos.

No formato atual, o curso tem duração de 3 horas e é realizado nos centros da própria Ambev, que contam com estruturas que simulam bares e restaurantes e permitem, inclusive, promover o almoço harmonizado. “As pessoas estão cada vez mais interessadas em conversar e saber sobre cerveja. Criamos esse projeto para levar todo esse conteúdo para os nossos parceiros”, finaliza Lia.

*Reportagem originalmente publicada na edição 123 da revista Bares & Restaurantes

Comentários