A adesão à nova ferramenta é opcional. Assim, o comerciante poderá escolher se quer ou não oferecer o serviço

No começo de setembro, Banco Central publicou as regras do serviço de saque e troco em dinheiro com o Pix, que estarão disponíveis no comércio e em caixas eletrônicos a partir de 29 de novembro.

Ambos possibilitarão a retirada de recursos em espécie, mas o Pix Saque é uma transação exclusivamente para saque e o Pix Troco está associado a uma compra ou prestação de serviço. No último caso, ao adquirir um produto, por exemplo, o cliente passa um valor superior para receber o restante em dinheiro.

No troco, o cliente receberá um extrato com o valor do saque e da compra.

Como funciona o pix saque

1. Usuário do Pix vai a um estabelecimento que oferte o serviço;
2. O usuário faz um Pix no valor desejado para o estabelecimento por meio de um QR code, sem precisar fazer compras no local;
3. Em seguida, o cliente retira o valor no estabelecimento comercial, que atuou como um agente de saque.

Como funciona o pix troco

1. Usuário do Pix faz uma compra em estabelecimento comercial que oferte o serviço;
2. O usuário faz um Pix com um valor acima da compra. Por exemplo: a compra foi de R$ 20 e o Pix será de R$ 30;
3. Em seguida, o cliente recebe o troco, ou seja R$ 10, em espécie.

De acordo com o BC, o limite para saque e troco no Pix será de R$ 500 durante o dia e de R$ 100 entre 20h e 6h. "Haverá, no entanto, liberdade para que os ofertantes dos novos produtos do Pix trabalhem com limites inferiores a esses valores caso considerem mais adequado aos seus fins", afirmou a autarquia.

A adesão à nova ferramenta é opcional. Assim, o comerciante poderá escolher se quer ou não oferecer o serviço.

Comentários