Beto Pinheiro, sócio administrador do Coco Bambu Brasília e presidente da Abrasel no Distrito Federal: “A generalizada informalidade vinha devastando as empresas que pagam aluguéis e impostos, geram postos de trabalho, com carteira assinada. Com o avanço da vacina, a economia se reacenderá, com mais conhecimento, força e poder do que tinha antes”. Chegou o momento de trazermos a alegria der volta aos clientes e à sociedade”.

“É muito importante que o empresário, cada um do seu jeito e de acordo com as suas condições, encarne e irradie ao seu time a agenda positiva”, disse Beto Pinheiro, sócio-diretor do Coco Bambu Brasília e presidente da Abrasel no Distrito Federal.

Além das questões operacionais, como as de precificação, fluxo de caixa, e cuidados com os custos do delivery, o empresário colocou a gestão estratégica como o capítulo que merece especial atenção por parte dos empreendedores do setor da alimentação fora do lar.

“É muito importante os empreendedores olharem para frente, com esperança e otimismo. Porque a energia do empresário vai passar para a equipe, e a energia da equipe vai passar para o cliente. Se ele administrar bem a atmosfera do ambiente, por meio da postura do proprietário e dos líderes da empresa, a equipe absorverá esse clima, transmitindo-o para baixo, passando-o à clientela”. A seu ver, a função essencial dos bares e restaurantes é a de “propiciar alegria à clientela e à sociedade”.

Eis por que, como sublinhou Beto Pinheiro, o florescimento dos bares e restaurantes é “uma questão de saúde pública”. A propósito, Marcelo Neri, diretor da Fundação Getúlio Vargas Social, afirmou ao jornal Valor (na edição do último dia 15 de junho) que a pandemia deixou os brasileiros no estado de maior infelicidade e sentimentos negativos, na comparação com a média global. A crise, como se concluiu no jornal, gerou uma onda de emoções negativas entre os brasileiros.

“A cortês sociabilidade irradiada nos cafés, bistrôs, bares e restaurantes produz grande diferença no valor percebido e internalizado pela sociedade”

“Chegou o momento de trazermos a alegria de volta, depois de tanta dor, de tanto sofrimento. É esta a hora de a gente avançar”, disse o sócio-administrador do Coco Bambu Brasília.

“Acho que é hora de pelo menos fazermos pequenos investimentos nas nossas casas, nelas promovendo uma renovada, uma mudada, mesmo sem gastar muito, porque sabemos que as empresas não estão com caixa. Mas, de algum modo, temos de melhorar o ambiente. Acende-se o ânimo das pessoas quando elas encontram nossas lojas pintadas e muito limpas, com um quadro novo na parede, com um novo letreiro”.

“Uma das coisas de que mais gosto é contratar uma pessoa. E, a seguir, promover essa pessoa. Sinto-me feliz quando alguém passa no nosso concurso seletivo”

Para que haja um ar de acolhimento, cordialidade, cortesia e de afável presteza no estabelecimento é imprescindível que esses atributos estejam encarnados por todo o time da casa, desde o proprietário aos gestores líderes, perpassando o barman, o chef de cozinha e os cozinheiros, os garçons, os cumins e o maître.

A propagação dessa ambiência pela brigada inteira,torna-se um valioso diferencial estratégico. Ao lado da eficácia operacional, a mais afável e cortês sociabilidade produz uma intangível diferença de valor percebido.

“A gente faz bem quando gosta do que faz. Quando as pessoas se sentem parte da brigada, da empresa e do seu projeto, elas fazem da missão um prazer. E aí não é só o dinheiro, a remuneração que conta. Todos acabamos compartilhando dos mesmos propósitos, a mesma razão de viver. Uma das coisas que mais gosto de fazer dentro da empresa é contratar uma pessoa. E, a seguir, promover essa pessoa. Sinto-me realmente feliz quando alguém passa no nosso processo seletivo, quando ela foi aprovada. E sinto-me redobradamente feliz quando ela foi promovida, porque se dedicou, estudou, aprendeu, compartilhou com os demais colegas”.

Daí vem o resultado da prioridade número da agenda positiva que o setor da alimentação fora do lar entrega à sociedade brasileira, nesta nascente fase pós-covid.

A oxigenação a partir do interior dos cafés, bares e restaurantes, como acrescentou o presidente das Abrasel no Distrito Federal, contribui para arejar e tonificar a sociedade, ensejando a propagação do princípio da “menssana in corpore sano” (mente sã em corpo são).

“A gente acredita que o final deste ano será muito bom. E 2022 também, graças a Deus, com o avanço da vacinação e a situação da pandemia bem mais controlada”.


Comentários