Notice: Undefined variable: base in /var/abrasel.com.br/revista/site/templates/head.inc on line 54

Segundo dados da Abrasel, o setor de gastronomia já movimenta cerca de R$ 250 bilhões anuais no Brasil

No último mês, o Ministério do Trabalho e Previdência incluiu a profissão de Sommelier na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). O reconhecimento dá mais visibilidade a esta atividade, que está diretamente ligada ao turismo, e garante a elaboração de políticas públicas para os trabalhadores do segmento.

Os dados da CBO alimentam as bases estatísticas de trabalho e servem de subsídio para a formulação de políticas públicas de emprego. A nova lista também incluiu o condutor de turismo náutico no rol das profissões reconhecidas no país. A atualização é feita levando em conta mudanças nos cenários tecnológico, cultural, econômico e social do país, que provocam alterações na dinâmica do mercado de trabalho brasileiro.

O ministro do Turismo, Carlos Brito, ressalta a importância dos sommeliers para a qualidade do turismo gastronômico e o enoturismo do país. “Este foi um grande passo para a valorização desta profissão tão importante para o turismo. Os sommeliers somam ao turismo gastronômico e são essenciais para garantir uma experiência culinária completa, com informação, expertise e conhecimento, que vai além do sensorial de degustar um bom vinho”, destaca.

A Associação Brasileira de Sommeliers explica que o sommelier é um especialista que aconselha os clientes na escolha dos vinhos e outros itens, como destilados, café, chocolate, pão, azeite, etc., em restaurantes e bares, com o objetivo de proporcionar não apenas o melhor padrão de serviços, mas também a melhor experiência enogastronômica. Dependendo de sua responsabilidade e experiência, o Sommelier pode ser responsável ainda pela compra, gestão de estoques e gerenciamento da carta de vinhos e outros produtos dos estabelecimentos aos quais presta serviços.

O enoturismo, segmento do turismo gastronômico voltado para conhecer e apreciar o universo do vinho, é bastante praticado no Brasil, principalmente na Região Sul do país. A Serra Gaúcha é uma das mais buscadas pelos turistas amantes da bebida, especialmente durante a Vindima, época de colheita da uva, que acontece entre janeiro e março.

Turismo Gastronômico – Dados da Organização Mundial do Turismo (OMT) apontam que a gastronomia é o terceiro maior impulsionador de viagens no mundo. No Brasil, o segmento já movimenta cerca de R$ 250 bilhões anuais, segundo cálculos da Abrasel. O Brasil também possui quatro cidades reconhecidas internacionalmente pela Unesco por conta da inovação na gastronomia: Paraty/RJ, Belo Horizonte/MG, Florianópolis/SC e Belém/PA.

A fim de fortalecer este segmento no Brasil, o Ministério do Turismo lançou, na última semana, o Programa Nacional de Turismo Gastronômico. A iniciativa desenvolvida em parceria com o Instituto Federal de Brasília (IFB) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) é um marco para o turismo brasileiro e traz os fatores históricos e culturais que contribuíram para o desenvolvimento do segmento, a relação indissociável entre turismo e gastronomia, o panorama do segmento no mundo e no Brasil, o papel essencial das políticas públicas em seu desenvolvimento, além do posicionamento do Brasil e os objetivos estratégicos da iniciativa.

Experiências do Brasil Rural - O vinho foi uma das cadeias produtivas contempladas na primeira edição do projeto Experiências do Brasil Rural, parceria entre o MTur, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Universidade Federal Fluminense (UFF) voltada ao desenvolvimento do turismo em áreas rurais.

Por meio do projeto, circuitos turísticos rurais de várias regiões do país, que produzem queijos, vinhos, cervejas e Frutos da Amazônia, contaram com apoio técnico dos ministérios e da instituição de ensino do Rio de Janeiro para estruturar destinos e empreendimentos da agricultura familiar e comercializar produtos e serviços. Os roteiros do vinho contemplados na 1ª edição foram Agroturismo (ES), Terras Altas da Mantiqueira (RJ), Caminhos do Campo (SC), Farroupilha Colonial e Ferradura dos Vinhedos (RS).

Fonte: Gov.br

Comentários