Segmento, um dos mais impactados pela pandemia, tem se reinventado para sobreviver durante a quarentena. Sebrae se posiciona como apoiador integral das MPE, incluindo as empresas de alimentação fora do lar

As micro e pequenas empresas, na intensidade e velocidade, estão sendo algumas das mais impactadas pela pandemia causada pela Covid-19. Além dos socorros pontuais, as Micro e Pequenas Empresas (MPE) têm se reinventado como muita criatividade para superar a crise econômica. Os pequenos negócios são os principais responsáveis pela geração de emprego e renda em todo o país. Há uma percepção mundial da importância da preservação econômica das MPE, já que serão as primeiras a tracionar a economia no pós-crise. No Brasil, não foi diferente. As ajudas pontuais representam um oxigênio extra para superar a crise, mas não esgotam a necessidade dos empresários.

Essa massa de empresários de pequenos negócios que acorda cedo para fazer o país andar tem à sua frente o gigantesco desafio de enfrentar e vencer a crise econômica causada pela pandemia mundial do coronavírus. Quando se analisa o setor pela lente da economia, salta aos olhos um preocupante potencial de vulnerabilidade. Grande parte dos negócios de pequeno porte são intensivos em atendimento ao público – exatamente na esfera em que os impactos do isolamento social são sentidos de forma mais expressiva.

Desde meados de março, quando as medidas de isolamento foram adotadas para conter a pandemia, o Sebrae se posicionou publicamente como apoiador integral dos donos de pequenos negócios no enfrentamento à crise. “Estamos ao lado desse setor fundamental para o Brasil, que é também a razão da existência da entidade. Com ações práticas, temos trabalhado em favor da adoção em larga escala de medidas preventivas para o segmento, que totaliza quase 17 milhões de empresas”, explica o presidente do Sebrae, Carlos Melles. Ele lembra que essas empresas geraram o maior número de empregos no Brasil nos últimos cinco anos e representam 30% de todas as riquezas produzidas no país.

Do ponto de vista econômico, o segmento de alimentação fora do lar, composto majoritariamente por micro e pequenas empresas, e que representa 9% do total de pequenos negócios, é um dos mais fortemente impactados pelas medidas de isolamento social. Por isso, o Sebrae tem mobilizado diferentes instâncias do governo, viabilizado iniciativas com a Abrasel e importantes parceiros do setor, no intuito de contribuir para o equilíbrio financeiro dos negócios, para a redução de custos, viabilização de fluxo de caixa, manutenção de empregos e orientação. “O Sebrae tem um papel importantíssimo para o fortalecimento do setor, trazendo amparo e incentivo a quem empreende e gera empregos. A parceria e as ações em conjunto entre a Abrasel e o Sebrae oferecem soluções que contribuem de modo decisivo para o desenvolvimento do país”, diz Paulo Solmucci, presidente-executivo da Abrasel.

Hora da vacina:Sebrae prepara “elixir” para fortalecer os pequenos negócios

Vitrine virtual: mais visibilidade sem custo. Tudo na palma da mão

Os donos de pequenos negócios podem contar com a plataforma Mercado Azul (mercadoazul.sebrae.com.br), criada pelo Sebrae para anunciar e encontrar fornecedores de produtos e serviços, de forma gratuita, em todo o país. A ferramenta funciona como uma vitrine digital para as micro e pequenas empresas que buscam divulgação e presença digital para impulsionar as vendas. O empreendedor pode criar anúncios com até oito fotos, divulgar horário de funcionamento, inserir preços e realizar promoções exclusivas. Além de possuir fácil acesso e segurança, a plataforma permite que o empresário divulgue suas redes sociais, propiciando contato direto entre o empresário e a clientela. Também é possível compartilhar os anúncios do Mercado Azul nas redes sociais do negócio e fazer contato direto.


Sebrae Respostas

Outra iniciativa do Sebrae que tem mostrado alto engajamento no período de crise é o “Sebrae Respostas”, www.respostas.sebrae.com.br, uma comunidade voltada para empreendedores que já conta com mais de 1 milhão de usuários, reunidos em pouco mais de seis meses de criação. Trata-se de um site colaborativo onde qualquer pessoa pode perguntar, responder ou fazer um post na seção do blog. O Sebrae atua como mediador, sendo o conteúdo de responsabilidade dos autores.


Em Conta

Funciona como um marketplace de serviços financeiros. De um lado, estão os clientes do Sebrae e, do outro, estão as instituições que oferecem seus serviços. O cliente seleciona o que precisa em www.emconta.sebrae.com.br (conta corrente, máquina de cartão de crédito ou contabilidade digital) e compara as opções oferecidas pelo mercado. A partir do perfil da empresa, os algoritmos mapeiam as instituições financeiras que prestam o serviço, quanto custa e suas funcionalidades. Essa é uma ferramenta muito útil quando o foco é redução de custos, desafio que está sendo encarado por grande parte dos pequenos negócios no momento, já que muitos pagam caro por serviços bancários, taxas de máquinas de cartão etc.


Parcerias do Bem beneficiam pequenos negócios

O Sebrae está liderando um movimento de mobilização, junto a executivos de algumas das principais empresas nacionais, para incentivar a população brasileira a priorizar os pequenos negócios. Mais de 20 grandes empresas já integram a iniciativa, dentre elas: Cielo, Renner, Facebook, Mercado Livre, B2W, Flix do Varejo, GERDAU, Votorantim, Aurora, Jeep, Dell e a Associação Brasileira de Franchising.

Plataformas do Sebrae têm recorde de acesso: aprimore conhecimentos, de forma gratuita

O número de empreendedores que buscaram o Sebrae neste momento de crise teve aumento significativo, principalmente via portal, que disponibiliza diversos serviços e soluções digitais para os donos de pequenos negócios. Somente entre 18 e 24 de março, momento em que inúmeras medidas de distanciamento social foram anunciadas, a quantidade de visitas ao Portal Sebrae cresceu 49% em relação à semana anterior, com 1,1 milhão de acessos e 767 mil usuários únicos.

O Portal Sebrae alcançou 5,1 milhões de acessos no mês de março, com 3,2 milhões de usuários, o que representa um acréscimo de 73% de acessos em relação ao mês de fevereiro deste ano. “Posso afirmar que todo o Sistema Sebrae tem se desdobrado, trabalhado incessantemente em home office para apoiar Microempreendedores Individuais e Micro e Pequenas Empresas em todo o país. São mais de 37 mil colaboradores - consultores, parceiros, Agentes Locais de Inovação (ALI) - atuando em todos os estados brasileiros, para que os pequenos negócios consigam atravessar essa crise”.


O que está em alta

• Entre os serviços mais acessados no portal, destaque para os cursos online. Todos são gratuitos. O Portal do Sebrae oferece página exclusiva com orientações para os empreendedores enfrentarem a pandemia. Lá, o empresário encontra dicas e conteúdos específicos para proteger seus negócios e minimizar os prejuízos.
• Canais do Sebrae nas redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube).
• Webinários diários, produzidos pela rede Sebrae nos estados.

Compre do pequeno: conheça mais sobre essa campanha que vem conquistado o Brasil e saiba como fazer parte dela

Em tempos de isolamento social, é importante cuidar de nós mesmos e das pessoas que estão ao nosso lado. O ato de priorizar os pequenos negócios, no momento da compra, ajuda a manter a população perto de casa e fomenta as micro e pequenas empresas, garantindo empregos e a economia local funcionando. Este é o mote da campanha do Sebrae intitulada “Compre do pequeno”, veiculada nos canais de TV aberta e por assinatura, nas mídias sociais e em portais de notícia.

Baixe cartazes e adesivos gratuitamente no endereço eletrônico sebrae.com.br/compredopequeno


Medidas emergenciais auxiliam pequenos negócios

Desde o início da crise gerada pela pandemia do coronavírus, o Sebrae articula medidas em apoio aos pequenos negócios, além de monitorar as medidas anunciadas pelas autoridades. Essa rede de apoio que vem sendo construída para ajudar empreendedores na travessia dessa crise global tem o Sistema Sebrae como protagonista. Presente em todos os estados brasileiros, a instituição tem lutado de forma aguerrida pela ampliação de direitos daqueles que mais sofrem economicamente com o isolamento social. O prolongamento de tributos do Simples; a suspensão dos contratos de trabalho, visando a preservação de emprego e renda; além da construção de políticas públicas que favoreçam a atuação dos pequenos negócios, em parceria com a Frente Parlamentar das Micro e Pequenas Empresas, são exemplos da atuação firme do Sebrae.

Conheça o Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe)

Na lista de ações protagonizadas pelo Sebrae, em defesa desses gigantes da economia, que representam 99% das empresas privadas e 55% dos empregos de carteira assinada, está ainda uma parceria que acaba de ser anunciada. O Sebrae e a Caixa divulgaram convênio para facilitar o acesso das micro e pequenas empresas e de microempreendedores individuais ao crédito. As linhas de crédito disponibilizadas pela Caixa terão as garantias complementares concedidas pelo Sebrae, por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), permitindo um aumento nas operações de crédito com taxas mais baixas, maior prazo e melhor período de carência. A operação começará com aproximadamente R$ 500 milhões em garantias para o Fampe, o que permitirá a concessão de R$ 7,5 bilhões em crédito, inicialmente.

“Um dos maiores obstáculos no acesso dos pequenos negócios a crédito é a exigência de garantias feita pelas instituições financeiras. Nesse sentido, o Fampe funciona como um salvo-conduto, que vai permitir aos pequenos negócios, incluindo o microempreendedor individual, obterem os recursos para capital de giro, tão necessários para atravessarem a crise provocada pela pandemia do coronavírus, mantendo os negócios e os empregos”, explica o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

O grande diferencial do Fampe é que os empreendedores contarão com um crédito assistido pelo Sebrae. “Os donos de micro e pequenas empresas serão acompanhados em todas as fases da operação, através da oferta de capacitações e soluções adequadas às necessidades de cada empreendedor e do estágio em que ele se encontra no processo do crédito. Isso vai possibilitar a redução do risco e, consequente, dos custos financeiros das operações”, acrescenta Melles.


Linhas de crédito

Diariamente, o Sebrae atualiza coletânea das principais linhas de crédito anunciadas pelos bancos públicos federais, como BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica, além de informações sobre os benefícios concedidos por bancos privados com atuação nacional, cooperativas de crédito, bancos regionais e agências de fomento. A listagem pode servir como base para a tomada de decisão de empreendedores em dúvidas sobre as melhores condições do mercado financeiro. A lista fica disponibilizada no portal www.sebrae.com.br.

Guia de Gestão Financeira orienta pequenos negócios
O Sebrae lançou um Guia de Gestão Financeira para apoiar os donos de pequenos negócios nesse momento de instabilidade econômica. Confira o guia completo no portal do Sebrae.


Dicas para enfrentar a crise

1. Faça uma previsão das despesas para um período de dois ou três meses. Se possível, identifique esses valores de acordo com o tipo de despesas.
2. Procure negociar as despesas com maior impacto no seu negócio.
3. Evite fazer alguma despesa que não seja extremamente necessária para a continuidade dos negócios.
4. Procure negociar também as despesas bancárias, buscando um prazo maior para o pagamento dos seus compromissos.
5. Estude a possibilidade de realizar promoções de produtos que estejam no estoque há muito tempo e disponibilize serviços de entrega para manter o nível de compra dos clientes. A ideia é aumentar o faturamento.
6. Os cinco maiores bancos do país, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander, anunciaram que vão prorrogar, por 60 dias, os vencimentos de dívidas de micro e pequenas empresas e também de pessoas físicas, para os contratos vigentes em dia e limitados aos valores já utilizados.

Socorro emergencial

Essencial ao segmento que mais gera empregos formais no Brasil. Trata-se de um arsenal de longo alcance para defender a economia do país:

- Coronavoucher oferece auxílio de R$ 600, por três meses, para trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI) e contribuintes da Receita Federal. Mulheres que sejam as responsáveis pela renda da casa receberão R$ 1.200,00.

- Financiamento de R$ 40 bilhões para custear a folha de pagamento de pequenas e médias empresas.

- A Medida Provisória 936, aberta a aprimoramentos pelo Congresso, permite a empregados e empregadores firmar acordos voluntários para redução proporcional da jornada de trabalho e de salários.

- Adiamento para que os impostos do Simples Nacional sejam pagos com maior prazo, sendo de seis meses para os tributos federais e três meses para o ICMS e o ISS. Confira mais no site “Vamos Vencer” do Ministério da Economia.

“Vamos Vencer”: site orienta pequenos negócios sobre medidas do governo para enfrentar a crise

Os donos de pequenos negócios que buscam orientação sobre como enfrentar esse momento de instabilidade econômica ganharam mais um canal de apoio do Governo Federal. A página, desenvolvida pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), do Ministério da Economia, tem o objetivo de sanar, ao máximo, as dúvidas dos empresários. “Há uma equipe centrada em cruzar os pedidos com as ações de governo. É um compromisso nosso para que os empregos sejam preservados e os empresários passem por esse período, cada dia mais fortes", pontuou o Secretário Especial, Carlos Da Costa.

Marketing digital: um grande aliado em tempos de crise

As micro e pequenas empresas tem em seu favor o marketing digital, ferramenta que pode ser aplicada nos seus negócios para potencializar as vendas em tempos de crise. Invista na comunicação da sua marca e em novas estratégias para alcançar seu público-alvo.


Dicas práticas do Sebrae:

- Entenda e conheça seus processos de vendas para saber a melhor forma de usar a internet.
- Ouça as necessidades e sugestões dos seus clientes antes de dar qualquer passo.
- Selecione canais mais atrativos e que conversem com a sua audiência.
- Crie conteúdos relevantes, com mensagens claras, para o seu público-alvo.
- Otimize seus investimentos, caso opte por investir em anúncios pagos.
- Avalie os resultados e tome decisões com base em dados.


Para consumir, sem moderação

Portal do Sebrae: www.sebrae.com.br
Fone: 0800 570 0800
Whatsapp: confira no site da sua UF .
Chat – serviço oferecido gratuitamente dentro do Portal do Sebrae

Comentários