Notice: Undefined variable: base in /var/abrasel.com.br/revista/site/templates/head.inc on line 54

Com o aquecimento das contratações, segundo a CNC, o setor deve ser um dos impulsionadores da economia de fim de dezembro

Foto: Spot Urbano

Sendo uma das áreas que mais sofreu com a pandemia do Covid-19, o setor de bares e restaurantes parece estar ganhando fôlego neste final de ano.

Segundo o levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é estimado que o segmento ofereça 63,40 mil vagas temporárias até o final deste ano em todo o Brasil.

Essa volta à normalidade vem sendo impulsionada pela vacinação, diminuição dos casos de Covid e das restrições sociais. Esses fatores, somados à proximidade das festas de final de ano, ajudam o setor a respirar economicamente.

A Abrasel, indica que 79% dos associados acreditam que as vendas irão aumentar até o fim de 2021.

Atrelado a isso,de acordo com a associação, cerca de 32% dos empresários do ramo seguem trabalhando no prejuízo e 60% não conseguiu reajustar o preço do cardápio, que teve variados aumentos com a subida da inflação dos produtos, com o preço dos alimentos e bebidas que alcançou 14,6% no acumulado dos últimos 12 meses.

Ainda de acordo com a Abrasel, essa melhora do setor já proporcionou um aumento de praticamente 50% dos postos de emprego.

É o caso do Spot Urbano, gastropub da zona norte de São Paulo, que foi obrigado a abrir mão de mais de 50% dos funcionários durante a pandemia e vem numa crescente contratação, tanto de temporários quanto no regime CLT.

"Antes da pandemia, tínhamos uma equipe de 32 pessoas e agora estamos com 15 funcionários. A intenção é voltar a ter a quantidade de antes e até mais. Contratamos até o momento 7 funcionários e pretendemos contratar mais até o final deste ano", conta Glauce Alonso, sócia do lugar, destacando que, apesar do movimento ainda não ter voltado 100% como era antes da pandemia, a expectativa é que em 2022 isso aconteça e que as dívidas adquiridas durante a quarentena sejam quitadas.

Comentários