abrasel

Em quatro anos, a quantidade de estabelecimentos no RN quase dobrou, passando de 869 para 1.585 empreendimentos. No último ano, o crescimento foi de 18,8%



Movido ou não por eventos esportivos, como a Copa América, o setor de bares e estabelecimentos especializados na venda de drinques e bebidas alcoólicas está em alta no Rio Grande do Norte. O segmento apresentou um aumento de 18,8% no número de empreendimentos no último ano. Entre 2015 e 2019, a quantidade de estabelecimentos quase dobrou no estado, subindo de 869 para 1.585 pequenos negócios nessa área, de acordo com um levantamento feito pelo Sebrae no Rio Grande do Norte.

Um dos termômetros para medir o aquecimento do setor tem sido a atratividade desse tipo de negócio entre os Microempreendedores Individuais (MEI). O comércio de bebidas já é a quarta atividade que mais formaliza MEI no estado. Segundo dados do Sebrae, já são 3.242 empreendedores enquadrados nessa categoria jurídica do Simples Nacional desempenhando essa atividade.

O negócio de bares e restaurantes é o que oferece o maior número de empregos, em torno de seis milhões de pessoas em todo o Brasil, conforme a Abrasel. Mas para partir para esse tipo de empreendimento, o empresário deve tomar providências importantes, já que o estabelecimento mexe diretamente com o público. Além disso, é preciso muita criatividade para que o negócio tenha aceitação de público com perfis diferentes, desde o mais simples ao mais sofisticado.

Pode parecer uma atividade simples, mas, para ser competitivo e lucrativo, o empreendedor que vai investir nessa área precisa estar atento a alguns cuidados para tornar o empreendimento atrativo: o ambiente e a decoração, o som, música, jogos, etc. Por isso, são necessários alguns cuidados na hora de abrir um estabelecimento dessa natureza.

O segmento é também importante para a atração de turistas e nos grandes centros urbanos chega a ser uma das principais opções de lazer da população. Vida noturna e gastronomia são ligados diretamente ao ramo, por isso o serviço prestado por um bar deverá ser concebido com visão profissional. Requer uma avaliação objetiva sobre a forma de atuação, público-alvo, localização, cardápio de comidas e bebidas a serem oferecidas, bem como as expectativas comerciais que esse tipo de empreendimento requer. O Sebrae elaborou algumas dicas para quem deseja investir nesse tipo de negócio e ter um bar lucrativo. Confira.

1 – Criatividade para o negócio dar certo

Bar é o tipo de negócio com grande concorrência, o que exige do proprietário muita criatividade. É necessário observar o mercado local e identificar o nicho de clientes para o qual o estabelecimento estará direcionado. A ociosidade do estabelecimento pode ser alta, de até 50%, nos dias de baixo movimento, dependendo da localização e proposta de valor do bar, o que exige iniciativas na gestão financeira e na divulgação de eventos e promoções. Sendo um ponto de encontro, os bares são muito procurados em dias de jogos importantes, em especial finais de campeonato e Copa do Mundo.

2 – A importância da localização

Uma boa localização é aquela que está no caminho dos clientes, perto de algum ponto de atração das pessoas, que podem ser os futuros frequentadores do recinto e que tenha acesso ao estabelecimento com menor grau de dificuldade. Por este motivo, a escolha do local onde o bar será instalado tem que ser feita por meio de pesquisas para identificar o perfil dos clientes, seu poder aquisitivo, hábitos, cultura e gostos. A proximidade com universidades, cursinhos, zonas comerciais e escritórios ajuda a angariar novos frequentadores e uma clientela jovem.

3 – Exigências legais e específicas

É necessário contratar um contador profissional para legalizar a empresa na Junta Comercial, nas Secretarias da Receita Federal (CNPJ) e de Fazenda, Prefeitura do Município (Alvará), enquadramento na Entidade Sindical Patronal, cadastramento no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS” da Caixa e no Corpo de Bombeiros Militar. Além do cumprimento às exigências é importante consultar a administração sobre a legislação local para esse tipo de negócio.

4 – Estrutura e identidade visual

A estrutura de um bar pode ser simples: balcão, salão para as mesas, banheiros, depósitos para estoque e cozinha. Mas se a clientela for exigente, é necessário um projeto arrojado, inclusive temático. Seja criativo na hora de criar um nome e lembre-se que a identidade visual deve estar em sintonia com a proposta do seu negócio. Diversificar e inovar são formas de agregar valor ao negócio, criando motivos para a constante atração de público. Uma das estratégias é acompanhar as tendências ditadas pela TV, novelas, filmes, entre outros.

5 – Funcionários, o cartão postal do estabelecimento

Ao escolher garçons, cozinheiros, barman, você deve ter cuidado, pois eles são o cartão de visita do seu negócio. O mais importante é que os funcionários sejam treinados e qualificados, contribuindo para que o bar seja realmente um local agradável e que os clientes valorizem o bom atendimento. Cortesia, atenção, respeito, honestidade, são valores que o proprietário deve transmitir aos seus empregados e zelar por sua manutenção.

Fonte: Sebrae

Comentários